quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

When you're facing a loaded gun



O pluri-bandidão Frank Costello, personagem de Jack Nicholson em Os Infiltrados, de Martin Scorsese, diz no começo do filme o seguinte:
“A igreja quer você sempre no lugar que eles quiserem. Ajoelhe, levante, ajoelhe, levante. Quando eu era menino lá eles diziam que ou você virava um policial ou virava um bandido. Eu digo: quando se está cara-a-cara com uma arma carregada, qual a diferença?”.
Este trecho da fala dele diz muito sobre muita coisa.
Primeiro, a igreja... não, melhor, AS igrejas querem, mesmo, que sejamos seus cordeiros. Pague o dízimo, coma a hóstia, dê 10% do seu salário, vire tal hora e tal hora para Meca, não foda, não beba, não viva. E não blasfeme.
Acho que todos os leitores aqui já foram uma missa e sabem que a história do ajoelhe-levante também é verdade. Até me afastar da igreja sofri muito com isso. Não entendo qual é o sentido disso. Penitência? Deus não nos ouve sentados?
Mais uma coisa, o fato da igreja sempre taxar o que diz como uma verdade absoluta (repetindo que me refiro às igrejas em geral). Deus criou Adão e Eva e nenhuma outra teoria a respeito do surgimento do homem é aceita. A camisinha é algo ruim, e nenhuma doença venérea ou aumento populacional desordenado justifica seu uso. Agora pode ser você for prostituta, mas não seria a prostituição um pecado também?
Mas o ponto principal do trecho citado é a que supõe que a situação faz a pessoa. Desde o nascimento até a morte. Quem pode julgar uma gestante que aborta o filho por ter sido fruto de um estupro, ou por não ter a mínima condição de criá-lo? Quem não entende alguém que cai no vício das drogas por causa de um pai alcoólatra e uma mãe que apanha diariamente? É a seqüência lógica: mente conturbada + maconha com os amigos + cocaína pra substituir a maconha que já não faz mais efeito + Craque pra substituir a cocaína que é muito cara = morte ou cadeia. E você, cara-a-cara com uma arma carregada? O que faria?
Diante de certas situações é que às vezes conhecemos nossa própria natureza, a verdadeira. Machões com medo se borram, borra-botinhas viram heróis. E assim vamos vivendo. Esperando que nosso ambiente nos molde e, por muitas vezes, tome por nós as decisões, por nos deixar sem opção para tomá-las.
E termino este texto com outra frase do Costello:
“Não quero ser um produto do meu ambiente. Quero que meu ambiente seja produto de mim”.

10 comentários:

Igan Hoffman (fazendo o impossível) disse...

Não dá para remediar um erro com outro erro. Se a humanidade tivesse seguido os princípios da igreja, por exemplo, "sexo só depois do casamento" não teríamos hoje tantas mães solteiras, tantos casos de doenças venéreas, enfim, tanta desgraça. O homem quer que a igreja se curve, por que ele não tenta se curvar? Busque por Olavo de Carvalho na internet, os textos relacionados a igreja católica, e vais entender o que estou dizendo. No mais, abração, se cuida...

Fabio Caminski disse...

"A igreja quer você sempre no lugar que eles quiserem." .. Ao mesmo tempo que concordo com a indignação de muitos por causa da manipulação da igreja sobre a sociedade, também questiono se o mundo andaria sozinho sem a opinião dela.
Muito bom o texto.


http://fabiochato.blogspot.com/

Zé Gota disse...

Igan e Fábio, também concordo que a igreja (as igrejas) teve papel fundamental na história e tem até hoje. Só acho que elas deveriam tentar não fugir tanto da realidade. E uma mãe solteira não é tão digna qto a casada?

Igan Hoffman (fazendo o impossível) disse...

Depende, a igreja não está tratando de dignidade, primeiro você tem que tentar entender como a igreja pensa, como se dá a construção do monumento e onde ela está alicerçada. A igreja também não impede que mães solteiras frequentem suas missas ou façam confissão. O pensamento da igreja é diferente do pensamento do mundo, por isso ela é a igreja. Por isso é uma instituição que está aí até hoje, queiram ou não.
"Não deixa de ser útil lembrar que a Igreja, desde sua fundação, teve de lutar menos contra os seus inimigos ostensivos do que contra os seus falsificadores. Tal é, aliás, a definição de "heresia", palavra que hoje tantos usam sem conhecer-lhe o significado: não qualquer doutrina anticatólica, ou não católica, e sim a falsa doutrina católica oferecida indevidamente em nome da Igreja. Lembrem-se disso quando algum professorzinho aparecer alardeando que a Igreja "perseguia doutrinas adversas". Heresia não é divergência de idéias, é crime de fraude. Da Antigüidade até hoje, gnósticos, arianistas e tutti quanti jamais hesitaram em fingir-se de católicos para vender, sob roupagem inocente, as idéias mais opostas e hostis aos ensinamentos de Cristo. Com freqüência, obtiveram nesse empreendimento sucessos espetaculares, embora passageiros. Ainda no século XIX praticamente todos os seminários da França e da Alemanha ensinavam, com o nome de teologia católica, uma pasta confusa de idéias cartesianas, iluministas e românticas, na qual os jovens aprendizes, iludidos pelos prestígios intelectuais do dia, não enxergavam nada de maligno. Foi só a decisiva intervenção do Papa Leão XIII que acabou com a palhaçada, mediante a bula "Aeterni Patris" (1879), que restaurou o ensino da teologia católica tradicional." e para ler
http://dennymarquesani.sites.uol.com.br/semana/acrisedo.htm
http://www.olavodecarvalho.org/semana/101018dc.html
http://www.olavodecarvalho.org/semana/100322dc.html

Igan Hoffman (fazendo o impossível) disse...

visitem meu blog http://diariodeigan-h.blogspot.com/

Kelvim Vargas Inácio disse...

Concordo com o Zé!
A Igreja impõe sua "opinião"...
Há uma passagem na bíblia que diz "não erga templos em meu nome..."
Quem me garante que os templos erguidos são os certos?
Valores são importantíssimos, ou melhor, necessários. Mas nada que uma boa educação não resolva.
O ser humano, de um modo geral, precisa rezar menos e agir mais. Pedir é fácil, mas agir é outra história!
Aquele abraço!
http://arfh-arfh.blogspot.com

Alyson Antunes disse...

A maioria das religiões foram criadas embasadas em um único livro, se elas vivem entrando em conflito umas com as outras, é porque tem alguma coisa errada. Brigar por fiéis, pensar que é dona do mundo, matar várias pessoas e dizer que foi tudo porque estava na bíblia ?
Fui batizado na católica e nem sabia ainda o que era o mundo, se isso não é impor algo, não sei de mais nada.
Zé, que papo polêmico. Pra criar mais ainda é "dois toque"
Abraços..

Zé Gota disse...

Primeiro, me nego a acreditar que, pelo menos no que se refere às pessoas com um mínimo de bom senso, que elas venham a negar algum ensinamento de Cristo. O que as igrejas passam de ruim e, em algumas religiões, de mal exemplo são derivadas de seus dogmas pseudo-teológicos de, muitas vezes, caráter duvidoso. Todos os ensinamentos de Cristo são, com certeza, decentes, porém não há de se cofundir as igrejas com apenas os ensinamentos de Cristo. Este são muito diferentes...
As igrejas moldaram, cada uma, os ensinamentos de seus líderes religiosos como bem lhes conveio, para que, cada vez mais, seus argumentos não fossem refutados.

Zé Gota disse...

Ou vocês conhecem alguma passagem de algum texto bíblico que justifique (eu disse justifique, não apenas cite) o uso de preservativos ou a união homoafetiva?
Abraço a todos e acho que este tipo de discussão enriquece e muito tanto o nosso conhecimento quanto o blog...

Igan Hoffman (fazendo o impossível) disse...

Ainda depende do ponto de vista, se formos ver como Nietzsche em O Anticristo, o cristianismo coloca a humanidade para a decadência, com a questão da compaixão, por exemplo. Os fracos e oprimidos não devem ser ajudados, devemos facilitar com que definhem, segundo Nietzsche. Assim, devemos cultivar na humanidade o que há de mais forte, de vigor, de predestinação à vida. Bem, não concordo com esse pensamento, mas é uma questão a ser abordada também.
http://diariodeigan-h.blogspot.com