sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Teimoso? Eeeeuuuuuu?



Ultimamente venho sendo chamado com muita freqüência de teimoso. Teimoso, cabeça-dura, intransigente, inflexível, etc. Meus amigos têm até a irritante mania de, ao começarmos um debate, logo encerrá-lo com “Tá, Zé, tá...”. É o mesmo que dizerem “Tu não vai admitir que tá errado mesmo”.
Panacas.

O que eles não entendem é que não sou teimoso. Sou convicto. Tenho plena fé em meus pontos de vista pois acredito em cada um deles. Alguns chamam isso de fé. Outros chamam de burrice. Eu digo de boca cheia (sem duplo sentido): Convicção.

Um destes amigos que me chamam de teimoso discute comigo sobre música. Me xinga por eu gostar de Coldplay. Acontece que este nobre amigo não tem o menor senso musical, mas sim é influenciado claramente pelo gosto alheio e pela formação de roqueiro que é mérito da “patota” com quem andava, e não de descobrir por si só o que é bom, então nada que surge de novo em matéria de música lhe soa bem aos ouvidos. E todo mundo concorda neste ponto. É o mesmo que eu discutir música com, sei lá, Hermeto Pascoal. Mesmo assim, numa discussão com ele o teimoso acaba sendo eu.

Outro amigo, também blogueiro, me chama de teimoso por causa de uma aposta que perdi pra ele dia desses. Ele afirmava que Mel Gibson tinha dirigido Coração Valente. Eu disse que não, que ele apenas tinha atuado no filme. Perdi a aposta. Porém o fato de ele também ter perdido uma aposta pra mim em que dizia que o protagonista de Coração de Dragão era Harrison Ford, e não Dennis Quaid, como eu sabia que era, não é citado.

Outro fala tanto que não tem nem como discutir com ele (né Marco? hehe).

E é assim. Uma discussão saudável sempre é boa, sendo com alguém cabeça-dura ou não.
Ah, e ultimamente eu ando fazendo o “Tá, não sei quem, tá...”.
Eles ficam muito putos!

Tem a história do cara que teimava com todo mundo. Chamava todo mundo de mentiroso e tal. Até que certa vez veio um amigo e disse que tinha um apito de chamar mulher. Ele, teimoso que era, não acreditou. O amigo então o levou pra uma ilha deserta e, lá longe da civilização, soprou o apito. Começaram a aparecer mulheres de todos os lados. De volta ao lar, o amigo do teimoso o chamou para que contasse a todos a história. Perguntou “e então, chamava mulher meu apito ou não chamava?” no que o teimoso respondeu “mas também, cada baranga!”.

10 comentários:

Henrique Mazon disse...

Tá, Zé, tá...

Zé Gota disse...

obs.: eu sabia já com a mais absoluta certeza que alguém diria isso em algum comentário.
previsíveis.

Flavia Melissa disse...

prá mim existem sempre dois pontos de vista sobre um assunto. o meu e os errados.

e tem gente que me chama de teimosa.
não sei porque!?

N. Ferreira disse...

HAhahaha, adorei.
Realmente, convicção pra uns, teimosia pra outros.
Geralmente, quem me chama de teimosa eu rebato e chamo de inflexível! Que é um jeito assim mais bonitim de dizer "sou teimosa mas sou feliz, mais teimoso é quem me diz!"
Ô gente que teima...

Marcos Medeiros :) disse...

É como disse o Henrique: "Tá, Zé, Tá..." Muahahaha

Kelvim Vargas Inácio disse...

Cara, eu nunca teimei contigo aquela história do harisson ford. Acho que tu estás maluco!
Mas, teimoso que você é, digo, convicto, com certeza vai insistir que eu falei aquilo!
hehe
T+
Abraço, compadre!

JKishin disse...

Você se surpreenderia com Hermeto Pascoal se discutisse música com ele. De Papai Noel ele só tem a barba. hehehe o cara é bixo!!!

Zé Gota disse...

ju, o que eu quiz dizer foi exatamente isso, que o meu amigo discutindo música comigo (ele entende ainda menos que eu sobre música, mas muito) é o mesmo que eu discutir com o hermeto, que é um gênio. desculpa se me expressei mal, hehe

Ângelo Rodrigues disse...

Teimoso
puts

eu jah desisti de teimar

Flavia Melissa disse...

larga mão de ser teimoso e atualiza logo isso aqui?